Todos os posts de Dani Luque

Produtora Artística Freelancer, Consultora de Imagem Digital, Estrategista de Mídias Digitais, mãe de um adolescente, curiosa e gente boa.

Você se lembra do orelhão?

O famoso e velho orelhão com uso das fichas telefônicas  parece assunto de outro mundo pra essa geração. Essa galerinha até usa a expressão “caiu a ficha”, mas sem saber o real sentido. Não sabem que existiam filas enormes para o uso do aparelho, cartelas de fichas telefônicas  e que era preciso muita paciência para aguardar as conversas das pessoas que usavam o orelhão para resolver problemas burocráticos, namorar ou mesmo falar com parentes de outro estado, o que faziam as conversas serem longas. Mas eles ainda existem e agora com outra finalidade.

O Projeto “Smart Orelhão”, que dá nova utilidade aos telefones esquecidos da cidade de SP, completa um ano.

A ação, que faz parte do Festival Red Bull Basement, informa aos usuários os horários e as linhas de ônibus que servem o perímetro.

A cidade de São Paulo tem aproximadamente 25 mil orelhões praticamente desativados. Segundo dados da ANATEL (Agência Nacional de Telecomunicações), cada um deles é usado, em média, duas vezes por dia. Enquanto isso, 2,7 milhões de pessoas que se locomovem por semana utilizando o serviço de ônibus da cidade não possuem internet no celular. Como dar uma nova função aos telefones públicos e fazer com que, de fato, os aparelhos tenham um impacto significativo na vida do cidadão?

Repensar o mobiliário urbano e transformar os objetos que caíram em desuso é uma das propostas do Festival Red Bull Basement por meio da ação “Smart Orelhão”, desenvolvida pela SalveTribal Worldwide, que completa um ano de funcionamento no mês de agosto. Nos últimos 356 dias, aproximadamente dez mil ligações foram efetuadas através do sistema espalhados pela capital paulista.

Como funciona?

Os telefones, que muitas vezes estão instalados próximos aos mais de seis mil pontos de ônibus distribuídos pela cidade de São Paulo, foram transformados em centros de informações acerca de horários e itinerários das linhas de ônibus que circulam naquele perímetro.

Ao usuário basta uma ligação gratuita para o número 0800 887 0878 e o sistema, automaticamente, identificará de qual orelhão ele está ligando e o informará sobre os horários e as linhas de ônibus que servem o ponto de ônibus mais próximo. O orelhão funciona como uma central que, ativada por geolocalização, é capaz de mapear o perímetro e produzir dados úteis aos cidadãos.

Sobre o Red Bull Basement

O Red Bull Basement é um espaço de produção, pesquisa e difusão de projetos que exploram formas colaborativas de experimentação com mídias digitais. Tem como objetivo desenvolver a colaboração e troca entre pessoas e coletivos com diferentes perfis: programadores, hackers, desenvolvedores de software e makers.

No próximo dia 2 de setembro (sábado), das 11h às 20h, vai ocorrer a terceira edição do Festival Red Bull Basement, cujo o tema desta vez será Tecnologia e Sociedade. Uma série de palestras e oficinas, além de uma exposição, vão tomar conta do Red Bull Station, no Centro de São Paulo, para tratar especialmente sobre como projetos inovadores podem solucionar diversos tipos de questões sociais.

Fique por dentro da programação recheada de palestras bem criativas! Da tempo de conferir!

Acesse:

Festival Red Bull Basement

Fonte: Agência Lema
Leandro Matulja/ Letícia Zioni/ Larissa Marques